Início / História / Gastronomia
Início / História / Gastronomia
Da Horta: Sopas e Caldos

Nas sopas destaca-se a utilização de batata, leguminosas, nabo e tomate. Muito presente é também o pão, a carne ou peixe e enchidos que as encorparam e lhes conferem um sabor genuíno.
Sopa de Favas | Receitas de Reis e Pescadores

Do mar, as Caldeiradas e Arrozes

As espécies capturadas nas águas de Cascais são vendidas na Lota e no Mercado da Vila e, posteriormente, utilizadas na cozinha local, sendo as mais expressivas a sardinha, o carapau e o polvo. Os peixes e mariscos mais nobres também fazem parte da gastronomia local, como a garoupa, o robalo, o tamboril, a moreia, a lagosta, a santola, o berbigão, o mexilhão entre outras espécies. Incontornável é a presença do bacalhau, dada a sua relevância e tradição na alimentação portuguesa, constituindo um traço de identidade gastronómica e cultural do nosso povo.

Caldeirada de Mexilhão

Na carne, a Capoeira e a Caça, assados e estufados

O consumo de carne no concelho está ainda muito associado à capoeira e caça. À galinha corada no forno, que se come em dias de festa, ou a canja de galinha ou perdiz que faz as delícias dos mais novos, juntam-se os pratos de caça, que constituía um importante recurso das populações interiores do concelho, onde predomina o coelho, a lebre e a perdiz. Também na ementa real, a caça era comum, dado o apreço que os Reis D. Luís e seu filho, D. Carlos, tinham por esta atividade. A presença do consumo da carne de porco confirma-se nos enchidos e em alguns pratos mais tradicionais, como a Carne de Alguidar.

+ Sobre cascais

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascais