Início / História / Gastronomia
Início / História / Gastronomia
Um pouco de História

Há quem diga que Cascais não possui doçaria típica, tradicional da terra, excetuando, talvez, as célebres areias e as nozes de Cascais. Tal ideia será certamente contrariada pelos cascalenses mais antigos, que ainda guardam consigo memórias da Fábrica de Bolos de Cascais, da Casa Fas-Tudo ou da Casa Tavares, onde se fabricavam, por exemplo, as joaninhas, feitas de amêndoa, ovos e açúcar, que remontam pelo menos ao final do século XIX. Mas também os bolos reais – porque eram feitos (e muito apreciados) para o rei D. Carlos -, as pratas, as areias – consideradas bolos “de ricos”, às quais se contrapunham os bolos de banha, uma receita mais humilde e de consumo frequente entre os pescadores

Para adoçar a boca: bolos, bolinhos e outros docinhos.

De uma grande variedade, das receitas conventuais às populares, os bolos, bolinhos e doces de Cascais vai mais além das "famosas" areias e nozes. Em casa dos cascalenses, e também no comércio local, encontram-se outras iguarias, mantendo a tradição do açúcar, do mel, das amêndoas, dos figos, laranjas e limões e tantos outros ingredientes que caracterizam a doçaria local.

Bolos de Natal

E para acompanhar…

O Vinho de Carcavelos - Vinho licoroso de tradicional produção nesta região, muito presente na história local e nacional, ao longo dos séculos. As tecnologias aplicadas terão mudado com os tempos mas a essência deste vinho ter-se-á mantido conservando as condições edafo-climáticas: tipos de solos, nível de insolação, nível de humidade, características pluviais, regime de ventos, amplitudes térmicas, localizações continentais ou perto do mar.
Com forte expansão nos territórios portugueses e anglo-saxónicos a partir de Seiscentos, o seu apogeu e fama internacional deverá ter sido na segunda metade de Setecentos. As sucessivas pestes, do Oídio, Filoxera e o Míldio, a partir dos anos 50 de Oitocentos, destruíram as vinhas da região. Uma nova aposta neste vinho deu-se nos anos 20 e 30 de Novecentos, com novas marcas, regulamentações e selos de garantia mas o surto urbanístico da Linha do Estoril levou à ocupação de quase todos os terrenos aptos para a vinha.
Além de ser servido como aperitivo ou a acompanhar um "docinho", o Vinho de Carcavelos é ainda incluído em algumas receitas, das sobremesas às carnes, demonstrando assim a sua versatilidade e sabor único.

Vinho de Carcavelos

+ Sobre cascais

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascais