Início / Sociedade Musical União Paredense (SMUP)
Início / Sociedade Musical União Paredense (SMUP)

Sociedade Musical União Paredense (SMUP)

Do teatro à música - cultura e convívio unem a comunidade


Nasce a 4 de março de 1899 aquela que, ainda hoje, é uma das associações mais importantes e com mais história de Cascais. Situada na Parede, a Sociedade Musical União Paredense (SMUP), como é reconhecida, tem uma larga história na formação musical, nas manifestações culturais, na ação social e, claro, no entretenimento, elo de ligação junto da comunidade.

A música foi e sempre será a sua maior vocação. Para tal basta entrar nas instalações – requalificadas através do Orçamento Participativo em 2012 – e sentir a música no ar.... Literalmente. Candeeiros no teto, pianos com (muita) história, instrumentos transformados com alma e pelas gentes daquela associação.
Voltemos lá atrás. No ano de 1899 foi formada a Banda Filarmónica e, sentindo a necessidade da formação, não demorou muito até ser criada uma escola de música, destinada a formar e educar cidadãos, não olhando à sua condição ou estatuto socioeconómico.

Até 1938 a SMUP não teve sede própria. As suas instalações funcionaram em espaços cedidos por beneméritos. Mas 1938 foi o ponto de viragem, com o início da construção do edifício destinado a albergar a coletividade e as suas atividades. Para tal contribuíram os esforços de todos os paredenses, entre eles José Nunes da Matta, almirante, residente e grande amigo desta freguesia, que doou à Sociedade um talhão de terreno da sua propriedade para que ali pudesse ser edificada uma sede condigna e permanente.

Até 1965, altura da interrupção das atividades musicais – banda e escola – a SMUP imanava alegria, bailes coloridos e concorridos, muitas notas de solfejo... muita música. Após um hiato, regressa com vigor em 1980, sob a direção do Maestro Joaquim Manuel Maneiras Alferes. É por essa altura (um ano depois) que renasce a secção de Teatro, umas das atividades com grande tradição da SMUP. A sociedade reconquista o seu espaço e volta a ser um ícone em Cascais.

Corre o ano de 2009 quando recebe o estatuto de "Instituição de Utilidade Pública", e em 2012, tirando partido da vocação marítima da freguesia, foi criado o Núcleo de Surf e Mar da Parede, com o fim de promover atividades lúdicas relacionadas com o mar.

Anos antes, em 2000, inicia-se um longo processo de requalificação do edifício da SMUP, que obrigou a que a sede estivesse fechada entre 2008 e 2013. É neste último ano que volta a ser possível usar o piso térreo para atividades pontuais e em março de 2015 a obra ficou concluída e foi inaugurada, retomando-se as atividades regulares.

Até hoje, esta sociedade é um espaço de encontro de várias gerações. Veja-se o exemplo de Sérgio Costa, maestro da Banda Filarmónica da SMUP e da Escola de Música da SMUP, que começou a aprender música na Banda da SMUP quando tinha 8 anos (em 1991).

A Companhia de Teatro da SMUP, dirigida pelo encenador Manuel Jerónimo, engloba projetos na área com a Comunidade como é o caso da Oficina de Teatro da SMUP, O teatro Riscado, com atores e criadores profissionais e uma Escola de Teatro Juvenil.

A dança também não foi esquecida e sob a égide da coreógrafa Aldara Bizarro, junta na sua Oficina de Dança Contemporânea, profissionais e amadores, e tem desenvolvido projetos artísticos na interação do contemporâneo com outras artes.

É assim que a SMUP une a comunidade – com a sua história do passado e fazendo mais história no presente. Para o futuro, o desejo é que continue a unir gerações e a escrever mais páginas na história de Cascais.

SMUP
SMUP
SMUP
SMUP
SMUP
SMUP
SMUP
SMUP
SMUP
SMUP

+ Sobre cascais